Lucimara

Discursos de ódio na internet

Quem é de Londrina já deve ter visto a Lucimara, e também deve ter visto a polêmica que foi gerada envolvendo o nome dela. Lucimara possui deficiência física e fica no calçadão central da cidade e recebe ajuda de várias pessoas para sobreviver. Infelizmente, uma publicação feita em uma página no Facebook, disseminou o boato de que sua situação, na realidade, seria outra: A foto publicada mostra uma mulher com a mesma deficiência em uma praia no nordeste brasileiro. A semelhança entre as duas foi o fator que levou a postagem viralizar nas redes sociais.
.
Esse ato de ódio, como atacar um indivíduo ou um grupo de pessoas fisicamente, ou indiretamente como na internet, geram danos psicológicos que podem ser irreversíveis (Mas é claro que quem gera isso não se importa muito com o que a vítima irá sentir, né?). Infelizmente, esses atos pode gerar danos como baixa estima, insônia, pressão alta, depressão e quando há depressão extrema, a consequência é o suicídio .

O discurso do ódio é totalmente contrário das expressões da sociedade democrática, pois não busca diálogo e sim o silêncio dos considerados minorias. No meio digital, os discursos ganham mais poder e se propagam mais rapidamente. Podem causar muitos danos, mas os debates e ações positivas têm crescido. Se você foi ou é vítima disso, procure seus direitos, pois os autores e até mesmo quem compartilha a publicação ofensiva podem ser punidos, tendo como consequência o pagamento de indenizações, entre outras penas. Não se cale! Não aceite desrespeito! Denuncie! .

Minha opinião sobre o que aconteceu com a Lucimara, é que a nossa sociedade precisa urgentemente se educar dentro e fora da internet. Infelizmente a internet tem a capacidade de propagar o discurso de ódio em uma velocidade enorme, a Lucimara não foi a primeira e nem será a última a sofrer com isso, mas eu continuarei do lado de cá, estudando e agindo cada vez mais para defender os direitos das pessoas que sofrem e passam por situações semelhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *